sábado, 9 de abril de 2011

Pernambuco participa da maior feira logística da América Latina

Da Secretaria

O Complexo Industrial Portuário de Suape, localizado no estado de Pernambuco, está participando da 17ª edição da maior e mais importante feira de logística na América Latina, a Intermodal South America. O evento acontece no Transamérica Expo Center, São Paulo, e reúne, em três dias de realização, os principais players do setor de logística, comércio exterior e transporte mundial. A feira conta com expositores nacionais e internacionais vindos da América Latina, América do Norte, Europa e Ásia. Mais de 45 países estarão representados no evento, com mais de 550 empresas expositoras e um público que promete chegar à casa dos 43 mil participantes.

Na oportunidade, o Secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado e Presidente de Suape, Geraldo Julio, o vice-presidente do Porto de Suape, Frederico Amancio, junto à diretoria e coordenadores da empresa, apresentaram as novas oportunidades de negócios geradas no Complexo de Suape e no estado de Pernambuco, com destaque para o Projeto Suape Global, que visa transformar Pernambuco em um polo provedor de bens e serviços para a indústria de petróleo, gás, offshore e naval.

As estatísticas da administração em 2010, ano no qual Suape completou 32 anos, também vêm sendo divulgadas. Suape está localizado no estande B44 e, no local, uma equipe formada por diretores e coordenadores está divulgando o potencial deste que é o maior canteiro de obras do Brasil, apresentando seus projetos para a área industrial e para a área portuária.

Suape Global - O Complexo Industrial Portuário tem suas atividades voltadas para novos negócios, especialmente aqueles voltados para o foco de sua atuação. Para isso, criou uma série de incentivos para facilitar a atração de novos investimentos nas mais diversas atividades econômicas.

E para ampliar os contatos com investidores o Governo de Pernambuco ousou, criando o Projeto Suape Global, reunindo entidades governamentais, privadas, acadêmicas e bancos públicos (BNDES, BNB, BB e CEF) com o objetivo de fazer do Estado de Pernambuco um polo mundial provedor de bens e serviços para as indústrias de petróleo, gás, offshore e naval, participando assim das oportunidades advindas do descobrimento de imensas reservas de petróleo da camada do pré-sal brasileiro.

Esse Projeto já atraiu 24 empresas envolvendo investimentos de US$ 1,58 bilhão, com a geração de mais de 12 mil empregos diretos e 22 mil indiretos. O Complexo Industrial Portuário de Suape é hoje o maior destino de investimentos privados do Brasil, beneficiado pela sua posição logística privilegiada e infraestrutura completa para atender às necessidades dos mais diversos empreendimentos. Suape é hoje um grande centro concentrador e distribuidor de cargas da região, com importantes polos industriais em desenvolvimento, destacando-se o polo naval, o petroquímico, refino de petróleo, siderúrgico, eólico, automotivo, logístico, e de alimentos e bebidas. São mais de 100 empresas instaladas e 30 em fase de implantação, o que representa cerca de R$ 50 bilhões em investimentos públicos e privados. Tudo isso transforma os 13,5 mil hectares do Complexo na maior locomotiva econômica do nordeste.

A construção de navios, o refino de petróleo e a sua ampla cadeia produtiva representam uma grande oportunidade para o desenvolvimento da indústria local. Dentro do seu Plano de Ações, Suape também desenvolve e articula parcerias para a qualificação profissional e inserção das micro e pequenas empresas no fornecimento de bens e serviços para os grandes empreendimentos. As obras da Refinaria Abreu e Lima e das três plantas da Petroquímica Suape estão a todo vapor. O Estaleiro Atlântico Sul lançou ao mar o seu primeiro navio, representando a retomada da indústria naval brasileira.

No final do ano de 2010, o Complexo Industrial Portuário comemorou mais duas grandes conquistas: a chegada da Companhia Siderúrgica Suape (CSS), com investimentos de R$ 1,5 bilhão e capacidade para produzir um milhão de toneladas de aços por ano e, sem pisar no freio, atraiu a FIAT, que irá construir no estado uma planta capaz de produzir 200 mil veículos por ano, atraindo ainda mais de 50 empresas fornecedoras e representando um investimento total na cadeia automobilística de R$ 8 bilhões.

Porto do Recife também marca presença

Aproveitando o bom momento econômico que Pernambuco vive, o Porto do Recife também está presente na Intermodal. O diretor-presidente Pedro Mendes, acompanhado do diretor de Operações e Engenharia, Hermes Delgado, e de Relações Comerciais, Alfredo Menezes, além do gerente de Negócios, Carlos Vilar, tem a missão de atrair novas empresas para operar no ancoradouro recifense.

Grandes negócios já foram fechados durante a feira, e este ano não deve ser diferente. Em 2010, por exemplo, o Porto do Recife fechou acordo com a Rodrimar, empresa paulista que começa a operar contêineres ainda este mês no cais. O negócio representou um grande passo para a renovação do Porto do Recife, que há quase seis anos não embarcava cargas conteinerizadas. A expectativa é que movimentação traga um incremento de R$ 3,2 milhões na receita do ancoradouro, um acréscimo de quase 15% no balanço anual.

A Intermodal é uma excelente vitrine para mostrar ao público as transformações em curso no cais recifense. O Governo do Estado está investindo cerca de R$ 8,5 milhões na reforma de armazéns e pátios de contêineres, recuperação das vias terrestres, modernização do silo portuário, construção da Estação de Transbordo e da segunda parte do Terminal Marítimo de Passageiros e manutenção da dragagem. A obra de aprofundamento, concluída no final de 2009, com recursos do PAC do Governo Federal, foi o primeiro passo da retomada das operações de grandes cargas no Porto do Recife. O aumento do calado, agora com 11,5 metros, tornou o canal de acesso e a bacia novamente adequada para receber grandes navios e estimulou o crescimento de novas operações no cais.

As obras estruturadoras estão dando mais vitalidade à parte operacional do Porto do Recife, tornando-o mais competitivo e estratégico. Resultado disso é que a cada mês o ancoradouro vem ampliando o embarque e desembarque de cargas. Nos três primeiros meses de 2011, houve um acréscimo de 10,5% nas toneladas movimentadas no cais.

Ad-Diper leva informações sobre plataforma multimodal de Salgueiro à Intermodal

Localizada no cruzamento das BR 232 com a BR 116, a sede do município de Salgueiro, a 520 quilômetros da capital Recife, se coloca numa posição favorável aos empreendimentos que têm como objetivo atender a mercados de bens e serviços das regiões Nordeste e Centro-Oeste. É justamente nesse município, cravado no “coração nordestino”, que o Governo de Pernambuco aposta para ser o novo pólo logístico do Brasil, através da viabilização da Plataforma Logística Multimodal Miguel Arraes de Alencar.

A plataforma está sendo desenvolvida combinando o conceito de central de inteligência logística com o de multimodalidade, telemática e otimização de fretes. Ela será erguida numa área de 301,5 hectares, no entroncamento da BR-232, BR-116 e Ferrovia Transnordestina, tendo tudo para ser o centro articulador do vasto espaço da fronteira agrícola do Nordeste, que, em contato com a ferrovia Norte-Sul promoverá a integração do Nordeste com o Centro-Oeste.

A Plataforma Logística de Salgueiro pode ser encarada como um projeto de desenvolvimento regional que tem entre seus objetivos atrair plantas industriais apoiada em vários elementos, como os projetos estruturadores nordestinos: a Integração das Bacias do Rio São Francisco, o Canal do Sertão, a Hidrovia do São Francisco e a Ferrovia Transnordestina, todos de grande potencial para fornecimento de insumos industriais. A excelente posição logística, o oferecimento de facilidades alfandegárias, com a existência de uma Estação Aduaneira interna à Plataforma, e os lotes reservados à implantação de um parque agroindustrial, com 68,94 hectares, também contribuem para os diferenciais do projeto pernambucano.

Com essa configuração, a Plataforma Logística Multimodal garantirá uma rede logística nacional integrada, com a participação dos modais rodoviário, ferroviário, aeroportuário em Salgueiro, articulado com o marítimo no Complexo Industrial Portuário de Suape, na Região Metropolitana do Recife, e o hidroviário em Petrolina, município do Sertão do São Francisco.

As potencialidades da plataforma fazem o Governo de Pernambuco projetá-la como “a Suape do Sertão”, numa analogia ao melhor porto do Brasil, localizado entre os municípios de Ipojuca e Cabo de Santo Agostinho, cujo crescimento segue em ritmo espantoso nos últimos quatro anos. O “boom” do Complexo Industrial Portuário de Suape tem forte influência de empreendimentos como a Refinaria Abreu e Lima, as plantas petroquímicas de POY, PTA e PET, o Estaleiro Atlântico Sul e, mais recentemente, a montadora Fiat e a siderúrgica CSS, que, juntos, somam US$ 19 bilhões em investimentos.

“Salgueiro é onde o Sertão vai virar porto. Estamos sendo bem demandados por empresas de vários setores e ramos de atividade. Já temos plano diretor e estamos fazendo os projetos básicos e executivos da plataforma logística”, afirma Márcio Stefanni, diretor-presidente da Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (AD Diper), órgão vinculado à Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico responsável pela implantação do empreendimento.

Fonte: Blog de Jamildo
Postar um comentário

Quais os maiores problemas que um Líder pode confrontar no dia-a-dia em uma pequena empresa?

Em que área da eng. de Produção você quer se especializar?