quarta-feira, 3 de outubro de 2012

DMAIC

Por Jefferson Escobar - consultor de empresas, especializado em programas de implementação de Melhoria Contínua. Sua experiência profissional inclui as abordagens TPM, Seis Sigma, Sistemas da Qualidade & Ambiental e Manufatura Enxuta. Atualmente é Consultor-Associado do Kaizen Institute Brasil.
E-mail: jescobar@kaizen.com


O DMAIC é um ciclo de desenvolvimento de projetos de melhoria originalmente utilizado na estratégia Seis Sigma. Inicialmente concebido para projetos relacionados à qualidade, o DMAIC não é efetivo somente na redução de defeitos, sendo abrangente para projetos de aumento de produtividade, redução de custo, melhoria em processos administrativos, entre outras oportunidades.
Cada letra representa sequencialmente uma etapa do processo de evolução de um determinado projeto: Define (Definir), Measure (Medir), Analyse (Analisar), Improve (Melhorar), Control (Controlar). Por representar um ciclo organizado e ordenado de trabalho, o DMAIC é constantemente comparado ao ciclo PDCA, também conhecido como ciclo de Deming (Plan, Do, Check, Act). É importante ressaltar, contudo, que existem características que diferenciam essas duas técnicas.


A aplicação do ciclo DMAIC deve ser sempre precedida de uma definição e desdobramento dos KPIs (Key Performance Indicators) gerenciais da empresa, ou seja, dos indicadores importantes para o negócio da empresa.  Desta tarefa, tem-se como resultado um documento denominado “Business Case” para cada KPI selecionado. Deste documento são estabelecidas as diretrizes de trabalho com as informações acerca da descrição do problema, meta objetivada, ganhos potenciais, escopo de atuação, restrições nos recursos e definição do “Sponsor” do projeto. Muitas vezes, pela abrangência organizacional de um “Business Case”, este pode desdobrar em mais de um projeto de melhoria DMAIC.
Esta relação entre os indicadores do negócio e a escolha dos projetos permite direcionar os recursos para as oportunidades mais significativas em relação à gestão do negócio da Empresa e quantificar os ganhos financeiros dos projetos. Esta contabilização de ganhos e conseqüente necessidade de participação da área financeira na definição e validação desses cálculos – antes, durante e depois dos projetos - é um diferencial do DMAIC em relação a outros modelos de melhoria.
O DMAIC tem também como característica marcante o enfoque na mensuração das informações, ou seja, a obtenção de dados quantitativos - evidências objetivas - durante as etapas do projeto.Conceituando o ciclo DMAIC de uma forma mais técnica, ele se baseia na precisa identificação, análise, melhoria e controle dos fatores de influência que contribuem para a variabilidade do processo. Dentro de cada etapa do ciclo DMAIC existem atividades suportadas por ferramentas e técnicas estatísticas para se atingir adequadamente os objetivos de cada uma dessas etapas e consequentemente o objetivo principal do projeto.


Por essas características e a forma disciplinada e metódica de melhoria nos processos, os projetos DMAIC requerem um maior tempo de desenvolvimento (de três a dez meses, dependendo do escopo do projeto) e requerem profissionais – líderes de projeto - dedicados ao desenvolvimento dos mesmos.
De acordo com a necessidade em cada etapa do processo, este líder convocará a participação de profissionais de diversas áreas para o cumprimento dos objetivos necessários para prosseguir com o projeto. A capacitação adequada, destes líderes e dos principais participantes dos projetos, nos princípios e técnicas de trabalho é fundamental para o êxito da estratégia. Afinal, o projeto pode exigir durante as etapas a utilização de técnicas diversas originadas do “Total Flow Management” (TFM), “Total Quality Management” (TQM) e “Total Productive Maintenance” (TPM) como: mapeamento do processo, trabalho padronizado, gráfico de Pareto, análise de regressão, análise de quebras, matriz de habilidades, controle estatístico de processo, entre outras.
Outro personagem primordial na aplicação do DMAIC é o chamado “Sponsor” ou padrinho do projeto. Esta função deve ser exercida por um profissional de cargo gerencial, pois terá como função apoiar o líder de projeto, provendo os recursos necessários e atuando como facilitador nas relações interdepartamentais. O padrinho é o responsável pela prestação de contas perante a alta administração, portanto o resultado do projeto deve estar dentro de seus objetivos e metas gerenciais, o que vai ressaltar a importância da adoção do DMAIC como uma verdadeira estratégia gerencial de negócios pelas empresas. 
Pode-se concluir que o DMAIC não se limita a ser simplesmente um ciclo de melhoria ou de resolução de problemas, mas abrange um modelo de administração do negócio. Pela sua criteriosa seleção e dedicação de recursos, os projetos DMAIC tratam, na maioria das vezes, de problemas crônicos, complexos e com abrangência interdepartamental, onde não é eficaz a atuação com os modelos de melhoria tradicionais. Obviamente, o foco nos indicadores vitais da empresa proporciona ganhos financeiros relevantes, dificilmente obtidos utilizando outras técnicas, criando um considerável diferencial competitivo para o negócio.

Fonte: Kaizen.com: DMAIC

Postar um comentário

Quais os maiores problemas que um Líder pode confrontar no dia-a-dia em uma pequena empresa?

Em que área da eng. de Produção você quer se especializar?